Trump defende pena de morte aos assassinos de policiais em cerimônia de homenagem aos oficiais mortos

Adrianna Valoy, mãe de um policial morto, abraça o presidente Donald Trump durante evento em homenagem aos policiais realizado no Capitólio, nos EUA (Foto: Reuters)

WASHINGTON – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou nesta terça-feira, 15,  ser a favor da pena de morte para os assassinos de policiais, reiterando sua política em relação à criminalidade.

Durante uma cerimônia anual em homenagem aos oficiais mortos, Trump se referiu aos imigrantes como assassinos violentos e lamentou os ataques do tipo “emboscada” contra a polícia.

“Precisamos acabar com os ataques contra a nossa polícia e devemos fazê-lo agora”, disse o presidente.

“Acreditamos que os criminosos que matam nossa polícia devem receber a pena de morte”, acrescentou o presidente republicano em frente ao Capitólio.

Grande parte da plataforma política de Trump é baseada em posições linha dura sobre imigração, crime e punição.

O magnata defendeu com frequência a pena de morte durante sua campanha e prometeu que “uma das primeiras coisas que” faria na Casa Branca seria assinar um decreto para aplicá-la a “qualquer um que matar um homem policial, uma mulher policial”.

Um ano e meio desde que tomou posse, ainda não concretizou essa promessa devido aos consideráveis desafios legais e políticos.