Housecleaner é acusada de roubar mais de US$72 mil de patroa em Charlestown

Aparecida ouve as acusações na Corte de Charlestown

CHARLESTOWN – Uma faxineira está sendo acusada de falsidade ideológica, furto e falsificação de cheques em um esquema que soma mais de US$72 mil, denunciou o New England Channel Network (NECN) de Boston nesta terça-feira, 5.

Aparecida Rodrigues Alves, de Malden, limpava a casa de Eva Dougherty, em Charlestown, há sete anos e nunca levantou suspeitas. “ Nunca senti falta de um batom. Nada”, afirmou a patroa.

A americana percebeu a fraude quando conferiu a correspondência do banco e viu a cópia de um cheque de US$2.450 emitido em nome de Aparecida Alves no dia 25 de junho.

Eva disse nunca ter tido motivos para desconfiar da housecleaner

Segundo Eva, o susto foi maior porque ela sequer conhecia a beneficiária.

Quando ela verificou o extrato bancário, percebeu que oito cheques de uma conta-poupança foram emitidos para a mesma pessoa – Aparecida Alves –  em um período de menos de um ano, totalizando US$72 mil.

Ela recorreu à gerência do Citizens Bank e ainda não suspeitava da faxineira a quem conhecia como Amanda Alves e emitia cheques de US$300 todo o mês pela limpeza quinzenal.

O banco disse que enviava os relatórios bancários para a cliente todos os meses e que ela deveria ter alertado a agência.

Mas Eva rebate e diz que o gerente deveria tê-la consultado sobre as transações suspeitas. Só um cheque de junho, por exemplo, direcionava US$23,708 para Aparecida e seria referente a um carro.

A americana não olhava o extrato com frequência porque tratava-se de uma conta-poupança destinada a pagar a mensalidade da universidade de três filhos. “Eu só via quando tinha que fazer os pagamentos para as faculdades, nunca prestei muita atenção”, admitiu.

Eva afirma ainda que não se deu conta do sumiço das folhas de cheque e não percebeu que a correspondência do banco não estava chegando no seu endereço. A patroa acredita que Aparecida escondia as cartas para evitar que o crime fosse descoberto.

Eve deu queixa na Polícia de Boston e as investigações levaram à prisão de Aparecida que declarou inocência na Corte Municipal de Charlestown em novembro.

A americana tenta agora recuperar o dinheiro. “O banco não cuidou nem devolveu o meu dinheiro roubado. O Citizens Bank definitivamente não é um lugar seguro”, alertou Eve em sua rede social.

Consultado, o Citizens Bank disse que não comenta casos específicos.

A reportagem não conseguiu localizar Aparecida até a publicação dessa matéria.