Guatemala desarticula rede de tráfico humano que operava entre Brasil e EUA

WASHINGTON/ GUATEMALA CITY – As forças de segurança da Guatemala prenderam nesta terça-feira 15 integrantes de uma rede internacional de tráfico humano que operava entre Brasil e Estados Unidos, entre elas sua suposta líder, a guatemalteca Martha Luz López, informou uma fonte oficial.

O porta-voz da Polícia Nacional Civil, Pablo Castillo, explicou que as detenções aconteceram no marco da operação “Mesoamerica III”, que foi coordenada por promotores do Ministério Público.

A rede liderada por López na Guatemala se dedicava ao transporte de pessoas estrangeiras de forma ilegal e tem operadores no Brasil, Peru, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras e México, segundo Castillo.

As operações foram realizadas em Esquipulas, na divisa com Honduras, Amatitlán, Palín e Tecún Umán, na fronteira com o México.

A fonte explicou que as vítimas da organização eram ameaçadas de morte se não pagassem entre US$ 15.000 e US$ 20.000 para serem transferidas aos Estados Unidos.

A organização utilizava casas de segurança, porões e hotéis para esconder os imigrantes, vindos principalmente de Índia, Nepal, Eritréia e Bangladesh.

De acordo com a investigação, os imigrantes eram levados ao continente americano pelo Brasil em aviões, e depois utilizavam transporte marítimo e terrestre para chegar até a Guatemala e posteriormente ao México e aos Estados Unidos.

De forma simultânea, segundo Castillo, também foram realizadas operações no Brasil, Peru, Panamá, Honduras e México.

Desde que a investigação começou, em 2016, foram recuperadas 117 pessoas originárias de Nepal, Índia, Bangladesh e Eritréia, e 20 guatemaltecos foram presos, afirmou Castillo.