Filme sobre vida de Freddie Mercury lidera bilheterias nos EUA

LOS ANGELES – “Bohemian Rhapsody” levou o rock de Freddie Mercury ao topo das bilheterias americanas, com uma arrecadação estimada de US$ 50 milhões neste fim de semana, informou nesta segunda-feira o site especializado “Box Office Mojo”.

Esta é a segunda melhor estreia de uma biografia musical nos Estados Unidos após os números registrados em 2015 por “Straight Outta Compton”, com US$ 60,2 milhões.

O filme de Bryan Singer narra o nascimento do Queen, em 1970, e a transformação do adolescente Farrokh Bulsara em Freddie Mercury, ídolo de multidões e ícone gay, até a mítica apresentação no Live Aid de 1985. Rami Malek, Lucy Boynton, Gwilym Lee e Ben Hardy são os protagonistas.

“The Nutcracker and the Four Realms” ficou na segunda posição, com US$ 20 milhões, a estreia mais fraca de uma filme da Disney este ano. O filme de Lasse Hallström e Joe Johnston, com Keira Knightley, Morgan Freeman, Mackenzie Foy, Helen Mirren, e Eugenio Derbez, é uma superprodução baseada no conto de fadas escrito por E.T.A. Hoffmann, em 1816, e adaptado ao ballet por Pyotr Ilyich Tchaikovsky.

“Nobody’s Fool”, de Tyler Perry, obteve o terceiro lugar, com US$ 14 milhões. A história de amor, dirigida e escrita por Tyler Perry, tem como objetivo explorar a realidade carcerária de muitos afro-americanos e latinos. Tiffany Haddish e Tika Sumpter lideram o elenco.

No quarto lugar aparece o drama musical “A Star is Born”, com US$ 11,1 milhões. A estreia de Bradley Cooper por trás das câmaras conta como uma jovem cantora (Lady Gaga) alcança o estrelato enquanto o seu parceiro (Cooper), um artista assolado pelos fantasmas do passado, começa a se afundar no álcool e nas drogas.

Por último, “Halloween” ficou no quinto lugar, com US$ 11 milhões. O filme, dirigido por David Gordon Green, é uma sequência direta do clássico de John Carpenter e permite a Jamie Lee Curtis retomar o papel com o qual estreou no cinema, o de Laurie Strode, que volta a ser espreitada por Michael Myers, um dos vilões mais icónicos da sétima arte.