Equipe de refugiados irá participar da Olimpíada de Tóquio, diz COI

BUENOS AIRES – Refugiados poderão participar da Olimpíada de Tóquio, em 2020, após o Comitê Olímpico Internacional informar na terça-feira, 9,  que irá montar uma equipe de refugiados pela segunda Olimpíada consecutiva.

O presidente do COI, Thomas Bach, perguntou em sessão em Buenos Aires se membros do órgão apoiavam a criação de uma equipe de refugiados, nos moldes de uma que competiu nos Jogos Rio 2016. Os membros responderam com aplausos.

“Então vocês criaram a equipe olímpica de refugiados, Tóquio 2020”, disse Bach.

O COI revelou sua primeira equipe de refugiados em 2016, em um esforço para aumentar conscientização sobre o assunto e a equipe foi uma das histórias inspiradoras da competição.

A equipe de 10 membros de Síria, Congo, Etiópia e Sudão do Sul atraiu holofotes após marchar como penúltima delegação, antes do Brasil, país sede, na cerimônia de abertura.
Os atletas participaram de competições de atletismo, natação e judô.

O COI havia informado no ano passado que considerava a criação de uma equipe de refugiados novamente para os Jogos de Tóquio e continua apoiando os atletas que participaram dos Jogos Rio 2016.