Ataque de hacker expõe dados de 500 milhões de clientes da rede Marriott

WASHINGTON – A rede de hotéis Marriott anunciou nesta sexta-feira, 30, que foi vítima de um ataque de hacker que expôs dados de 500 milhões de hóspedes no mundo todo. A empresa afirma que já “tomou as medidas para investigar e lidar com o incidente de segurança dos dados”.

Segundo o Marriott, e sem precisar números, os dados de cartão de crédito também foram roubados e embora estivessem criptografados há uma possibilidade de que os hackers tenham tido acesso às informações necessárias para usá-los.

Os acessos não autorizados ocorrem desde 2014, mas o vazamento foi descoberto apenas no dia 8 de setembro.

Entre as informações coletadas, cerca de 367 milhões de clientes tiveram alguma combinação de seus nomes, endereço, telefone, e-mail, número de passaporte, data de nascimento e gênero roubados. O banco de dados invadido pertence à Starwood, adquirida pela Marriott em 2016.

A falha de segurança afetou clientes que se hospedaram nos hotéis W Hotels, St. Regis, Sheraton Hotels & Resorts, Westin Hotels & Resorts, Element Hotels, Aloft Hotels, The Luxury Collection, Tribute Portfolio, Le Méridien Hotels & Resort, Four Points by Sheraton e Design Hotels.

“O Marriott reportou o incidente às autoridades e continua a auxiliar nas investigações”, disse em nota Arne Sorenson, CEO e presidente do Marriott. Ele afirmou estar “profundamente arrependido por esse incidente ter acontecido”.

“Ficamos aquém do que nossos clientes merecem e do que esperamos de nós mesmos. Estamos fazendo tudo o que podemos para auxiliar nossos clientes e usar as lições que aprendemos para melhorar daqui para frente”, afirmou Sorenson.

Uma ação judicial já foi impetrada na Corte Federal de Maryland e acusa a rede Marriott de negligência.