Manifestantes em Barcelona exigem libertação de líderes separatistas

BARCELONA  – Dezenas de milhares de defensores da independência da Catalunha encheram uma das principais avenidas de Barcelona neste sábado, 12, para exigir a liberação de líderes separatistas presos devido à defesa de independência da região.

Usando laços amarelos na lapela para demonstrar apoio, os manifestantes encheram da avenida Marina, que sai da praia até a icônica igreja da Sagrada Família de Barcelona, enquanto familiares dos presos discursaram.

Dois dos principais grupos da independência da Catalunha convocaram a marcha, sob o slogan “Liberdade para presos políticos”, depois que seus líderes serem mantidos em custódia sob acusações de sedição, no mês passado.

O protesto é visto como um teste da força do movimento de independência, após o governo catalão declarar independência em 27 de outubro, motivando o primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy a destituir os seus membros, dissolver o parlamento regional e convocar novas eleições para dezembro.

“Vejam todas essas pessoas”, disse Pep Morales, de 63 anos, que estava confiante na vitória dos partidos separatistas em 21 de dezembro. “O movimento de indepedência ainda está forte”.

Muitas das famílias, jovens e aposentados viajaram de vários locais da Catalunha para participar da marcha. Carregaram fotos com os rostos dos presos e balançaram a bandeira vermelha e amarela da independência da Catalunha.

A Alta Corte da Espanha prendeu oito ex-membros do governo, assim como líderes dos grupos Assembleia Nacional Catalã (ANC) e Omnium Cultural, enquanto seus papéis são investigados.

Na semana passada, a corte emitiu ordens de prisão, sob acusações de rebelião e sedição, contra o ex-presidente regional Carles Puigdemont, que fugiu para Bruxelas após ter sido deposto, e outros quatro ex-membros do governo.

Na quinta-feira, a Suprema Corte libertou, sob fiança, o presidente do Parlamento Catalão, Carme Forcadell, e outros quatro legisladores que assinaram a declaração de independência.

Outro parlamentar foi solto sem fiança.

Forcadell foi liberado após aceitar renunciar a qualquer atividade política que fosse contra a constituição espanhola, de acordo com a decisão da corte, efetivamente banindo-o da campanha pela independência na eleição de dezembro.