Kremlin rejeita acusação dos EUA sobre interferência em eleição do México

MOSCOU – Kremlin rejeitou nesta quinta-feira, 11, uma acusação dos Estados Unidos de que a Rússia estaria interferindo na política mexicana antes de uma eleição presidencial neste ano.

O governo russo respondeu a comentários feitos pelo assessor de segurança nacional norte-americano H.R. McMaster em um vídeo do dia 15 de dezembro, no qual ele disse que há “sinais iniciais” de que a Rússia está interferindo na eleição do México.

McMaster não entrou em detalhes sobre como a Rússia estaria tentando influenciar a votação de julho, na qual o México deve eleger um novo presidente para substituir Enrique Peña Nieto.

Alguns analistas veem o candidato Andrés Manuel López Obrador, ex-prefeito de esquerda da Cidade do México, como o favorito do Kremlin devido à cobertura positiva que tem recebido de veículos apoiados pelo governo russo, como Sputnik e RT.

Entretanto, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, que tem negado repetidamente acusações de autoridades norte-americanas e outros de que Moscou interfere em eleições estrangeiras, disse à Reuters nesta quinta-feira que as acusações de interferência russa no México são incorretas.

“Isso é incorreto, e sobretudo, infundado”, disse Peskov sobre as alegações de McMaster’s.