Hamilton lamenta assalto à Mercedes: ‘Isso acontece todo ano aqui’

Piloto reclamou da falta de segurança enfrentada pela equipe nas ruas próximas ao autódromo

SÃO PAULO – Campeão da temporada da Fórmula 1, o inglês Lewis Hamilton lamentou nas redes sociais o assalto sofrido por integrantes da sua equipe, a Mercedes, na saída do Autódromo de Interlagos, na noite desta sexta-feira, em São Paulo. “Isso acontece todo ano aqui”, reclamou o piloto, que pediu providências das autoridades

Segundo Hamilton, membros do time alemão tiveram armas apontadas para a cabeça e foram ameaçados com tiros. “Algumas pessoas da minha equipe foram ameaçadas por armas na noite passada, quando deixavam o autódromo aqui no Brasil. Foram disparados tiros e as armas foram apontadas para a cabeça deles. Isso é decepcionante de saber. Por favor, rezem por esses colegas que estão aqui como profissionais hoje, mesmo abalados”, escreveu o inglês nas redes sociais.

O piloto pediu providências da organização da Fórmula 1. “Isso acontece todo ano aqui. A Fórmula 1 e as equipes precisam fazer mais. Não há desculpas!”, criticou o mais novo tetracampeão da categoria. Seus dois posts no Twitter já somavam mais de 3 mil compartilhamentos quando a reportagem acessou a página.

A assessoria de comunicação da Mercedes não revelou detalhes sobre o assalto. Afirmou apenas que “itens valiosos” foram roubados. Ninguém ficou ferido na ação. A equipe não acionou a polícia após o episódio, que assustou membros do time alemão. Neste sábado, as vans da Mercedes receberam escolta policial no trajeto do hotel até Interlagos.

A ação aconteceu por volta das 20 horas de sexta-feira, nas proximidades da Avenida Interlagos. Um veículo interrompeu a passagem da van da Mercedes e o assalto foi anunciado. A Mercedes não confirmou quantos integrantes foram roubados.

Outra van, da Williams, estava por perto, mas não foi abordada pelos assaltantes. Mas logo atrás vinha um veículo da Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Como a van era blindada, saiu rapidamente e evitou qualquer perda material.

Nos últimos anos, houve registros de outros assaltos a equipes e pilotos da F-1nas proximidades de Interlagos. Em 2010, o piloto inglês Jenson Button sofreu uma tentativa de assalto também quando deixava Interlagos rumo ao seu hotel. Dentro de um carro blindado, o então piloto da McLaren evitou qualquer perigo.