Escoteiros dos EUA decidem permitir entrada de meninas

WASHINGTON – Em uma decisão histórica, os Escoteiros da América vão deixar que meninas entrem na associação a partir do ano que vem e permitir que elas possam vir a receber a patente mais alta do grupo, disse a organização nesta quarta-feira, 11.

A decisão unânime tomada pelo conselho de diretores do grupo centenário se deu após anos de pedidos de famílias e meninas, disse o conselho, mas o anúncio provocou uma reação majoritariamente negativa nas redes sociais.

“Acreditamos que é crítico desenvolver como os nossos programas atendem as necessidades das famílias interessadas nas experiências positivas e contínuas para as suas crianças”, disse em comunicado Michael Surbaugh, executivo-chefe dos escoteiros.

A partir do próximo ano, as famílias poderão inscrever os filhos e as filhas nos programas de escoteiros. As seções nas comunidades poderão decidir estabelecer unidades femininas ou mistas. Elas também podem escolher permanecer exclusivas para meninos.

Depois do anúncio, as Escoteiras dos Estados Unidos divulgaram um comunicado que não mencionou a decisão dos escoteiros.

“Permanecemos comprometidas e acreditamos bastante na importância de um ambiente só de meninas e liderada por meninas que as escoteiras fornecem, o qual cria um espaço seguro necessário para as meninas aprenderem e se desenvolverem”, disse a organização. “Nós somos especialistas em meninas”, acrescentou.