Em nota, Fluminense lamenta postura de Scarpa e diz que quitou débitos com o meia

Flu alega que jogador foi mal orientado e despreza clube que lhe abriu as portas do mundo

RIO – Incomodado com a situação envolvendo o meia Gustavo Scarpa, o Fluminense emitiu um comunicado oficial neste domingo para se posicionar a respeito do caso, após o jogador entrar na Justiça contra o clube pedindo a rescisão do contrato em razão de atrasos salariais.

Na publicação, o Fluminense lamenta a atitude de Gustavo Scarpa, diz que o atleta “resolveu dar as costas ao clube que lhe abriu as portas para o mundo” e revela que aumentou o salário do atleta no ano passado.

“O ajuizamento dessa ação nos surpreende e nos entristece, sobretudo por se tratar de atleta da base, que sempre teve por parte do clube, reconhecimento e consideração, tanto que lhe foi, no ano passado, concedido aumento de salário durante a vigência do contrato”, disse um trecho do comunicado.

O clube ainda informou que pagou os débitos com o jogador e que pretende lutar para que o atleta permaneça nas Laranjeiras. “Nos esforçamos muito, os pagamentos foram feitos e vamos lutar para que o vínculo seja mantido”.

O CASO – Especulado no Corinthians, Palmeiras e São Paulo, Gustavo Scarpa entrou com uma ação na 70.ª Vara do Trabalho no dia 22 de dezembro, pedindo a rescisão contratual com o Fluminense por conta de atrasos salariais.

O processo mostra que o atleta, baseado no que diz a Lei Pelé (permite que o atleta peça a rescisão em caso de atraso de salário por período igual ou superior a três meses), pede a rescisão indireta do seu contrato com o Fluminense pelo atraso de quatro meses nos direitos de imagem e de seis meses do recolhimento do FGTS. Além disso, o atleta alega no documento que o Fluminense deve o salário de novembro e os 13.º salários e férias de 2016 e 2017.

O valor da causa do jogando contra o clube carioca é de R$ 9.282 00,00. O Fluminense diz que não foi notificado judicialmente e que quitou os débitos com o jogador.