Coletivos antifascistas se manifestam em Macerata após ataque a imigrantes

MACERATA – Coletivos antifascistas se manifestaram neste sábado, 10, na cidade italiana de Macerata, onde um ultradireitista disparou contra seis imigrantes africanos na semana passada, em uma iniciativa à qual deu apoio o novo partido progressista Livres e Iguais.

O ocorrido em Macerata transformou a imigração e o racismo no centro do debate da campanha eleitoral.
A manifestação não tinha sido autorizada pelo Ministério do Interior até a noite desta sexta, quando os organizadores garantiram que seria totalmente pacífica.

No entanto, a Câmara Municipal desta pequena cidade de 41 mil habitantes ordenou fechar todas as lojas e suspender as aulas nos institutos (sábado é dia letivo na Itália), perante possíveis incidentes entre os antifascistas e os ultradireitistas.

Na última quinta-feira, 100 simpatizantes da formação neofascista Forza Nuova se manifestaram pelas ruas de Macerata, embora a manifestação tenha sido proibida, para apoiar a “vingança” de Luca Traini, o agressor que disparou contra os imigrantes. Traini foi um dos candidatos da Forza Nuova.

Traini disparou contra os imigrantes por “vingança” após o assassinato de Pamela Mastropietro, de 18 anos, supostamente assassinada por um traficante de drogas nigeriano.
Nesta ocasião, o grupo protagonizou enfrentamentos com a polícia ao tentar ter acesso ao centro da cidade e houve pelo menos seis pessoas feridas e uma dezena foram detidas.